Fundação Cidade das Artes

Destaques da Programação

1 1 1 1 1

Música

18/09 e 19/09

Natalie Dessay, soprano  &  Michel Legrand, piano   Natalie Dessay,virtuose da ópera com renome internacional, e Michel Legrand, compositor de algumas das trilhas sonoras mais famosas da história, se apresentam aqui na Cidade das Artes e prometem dois espetáculos inesquecíveis   Harmonizando voz, piano, baixo e percussão, Michel Legrand e Natalie Dessay revivem trilhas sonoras famosas dos filmes de Hollywood e do cinema francês...

Música

12/09

A soprano dinamarquesa Signe Asmussen e o pianista Erik Kaltoft    Desde que se formou pela Royal Academy of Music, em Copenhagen, a soprano dinamarquesa, Signe Asmussen é reconhecida pela sua interpretação absolutamente natural, capaz de promover um ambiente intimista em suas apresentações Trabalhou com maestros e pianistas internacionalmente renomados, como, Thomas Dausgaard, Michel Tabachnik, Franck Ollu, Lan Shui, Lars Ulrik Mortensen, Rodolfo Fischer, Michael Seal, Alexander e Howard Shelley e Peter Hill...

Música

31/08

MAXIM VENGEROV, violino LONG YU, regente SHANGHAI SIMPHONY ORCHESTRA   Shanghai Symphony Orchestra é o mais antigo conjunto do gênero da Ásia, com 135 anos de existência, sendo também o mais famoso do continente Originalmente conhecida como Banda Pública de Shanghai, transformou-se em uma orquestra em 1907 e em 1922 recebeu o nome de Orquestra Sinfônica de Shanghai...

Dança

15/08 e 16/08

Paul Taylor é o maior expoente vivo da dança moderna americana, com a criação de 142 coreografias desde 1954, quando fundou a Paul Taylor Dance Company Através da sua dança, Paul Taylor  traduz a complexidade da vida e as agruras da sociedade...

Música

27/08 e 28/08

Nascido em Kobe, no Japão, graduado na West Virginia University, Makoto Kuriya passou parte dos anos 80 nos Estados Unidos, realizando turnês com Chuck Mangione, ganhador do Grammy   Kuriya voltou ao Japão em 1990, onde realizou a trilha sonora para o "Neo Genesis Evangelion" e uma série de gravações vencedoras de muitos prêmios, com sucesso internacional...

Eventos Recentes

1 Projeto CineArtes – Exibição do filme: “Para Sempre Teu Caio F” e bate-papo com o diretor Candé Salles 08/08 Arte e Educação Filme sobre o escritor Caio Fernando Abreu, dirigido por Candé Salles e livremente inspirado no livro de Paula Dip.  Com mistura de linguagens inerentes à obra de Caio F. (cinema, teatro, música e literatura), a linha narrativa é conduzida através de depoimentos de familiares, amigos, editores e estudiosos que mantiveram relação com o autor, além de atores consagrados que interpretam seus textos.     Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=NGbc7N2xuMc [+] saiba mais 1 Música de Câmara V 11/08 Música RELEASE   O Break of Reality é um conjunto de rock com violoncelos, que surgiu na Eastman School of Music, em Rochester, Nova York, em 2003. O som desse quarteto rompe fronteiras e mescla a formação clássica de seus integrantes com sua paixão pelo rock, reunindo o melhor de ambos os gêneros. Eles sobem ao palco sem estantes ou as roupas formais da música clássica, e conversam com o público, como amigos, narrando histórias que iluminam a peça que estão tocando, seja uma compsição original do Break of Reality, uma música da Tool ou da Radiohead, ou um arranjo de J.S. Bach. Desde a sua formação, o grupo lançou quatro discos, todos eles produzidos pelo próprio Break of Reality, tendo vendido cerca de 100.000 cópias em todo o mundo. Seu mais novo álbum, TEN (2014), apresenta composições originais escritas por Patrick Laird e Ivan Trevino, membros fundadores do Break of Reality, e vem sendo tocado regularmente pela Yahoo Music, Huffington Post e Pandora Radio. Além de fazer shows, participar de concertos sinfônicos e gravar discos, o grupo também se dedica à educação musical, e tem realizado centenas de workshops e máster classes para estudantes de música nos EUA e em outras partes do mundo.       PROGRAMAÇÃO   Lee Mills, regência Break of Reality, violoncelo e percussão HEITOR VILLA-LOBOS Bachianas Brasileiras nº 5 (Arr. Patrick Laird) PATRICK LAIRD Helix Star RAMIN DJAWADI Game of Thrones (Arr.: Patrick Laird) PATRICK LAIRD Circles Solid Ground CLÓVIS PEREIRA Cantiga RONALDO MIRANDA Ponteio e Dança GEORGE GERSHWIN Lullaby (Arr.: Jeff Manookian) ERNANI AGUIAR Quatro Momentos: nº 3 [+] saiba mais 1 Orquestra Equatoriana de Instrumentos Andinos 12/08 Música Os Andes, como grandes Curacas, se tornaram imponentes atravessando grande parte da América do Sul, invadindo todo o território com crenças milenares, com seu clima frio, suas casas quentes, sua cultura única e dentro dela, sua música. A música andina emula a vida deste lugar e sua estreita relação com a natureza. Por este motivo é fácil escutar instrumentos de vento que simulam os vendavais das charnecas andinas ou seus charangos feitos de quirquincho (Tatu) que como afirma o musico boliviano Florivio Alvis “são para o indígena um meio de comunicação as vezes mais claro e mais sincera que a própria palavra”. É por isso que no Equador se tornou indispensável a criação de um grupo que interpretasse a vida e os sons da cultura andina. Desta forma e com a iniciativa de representantes de vários grupos, foi constituída a Orquestra de Instrumentos Andinos no ano de 1990, sob a regência de Rodrigo Paz, com aproximadamente 80 músicos. A OIA hoje conta com 38 integrantes dentre alguns de seus fundadores e novos músicos. A OIA consolidou o gênero musical andino, mas expandiu o seu panorama permitindo a Orquestra interpretar qualquer tipo de música com arranjos específicos para seu grupo. Assim afirma Segundo Condor, membro fundador do grupo que ressalta que a OIA “tem sido uma janela aberta para expor a música dos novos compositores equatorianos, nos quais estou incluído, assim como todo gênero musical já que este grupo é muito versátil e interpreta partituras muito diversas”. A orquestra já se apresentou na Colômbia, Brasil, Peru, Chile, Rússia, Alemanha e México. O tempo avança de forma cíclica, como o concebe o mundo andino e os frutos que hoje saboreiam são os esforços de ontem. É por isso que a OIA, este ano, segue mantendo a originalidade que sempre a caracterizou, assim como o esforço por compor e criar arranjos únicos em seu gênero e mantendo presentes as palavras do poeta Otavalenho Ariruma Kowii “sempre é bom ter os pés na cabeça (…) para que seus passos nunca sejam cegos”.  [+] saiba mais 1 Os tapetes contadores de histórias – No início dos tempos 01/08 e 12/08 Arte e Educação Tapetes artesanais servem de cenários para as histórias que nos contam o surgimento de alimentos, animais e até lugares. Contos: A TARTARUGA E A FRUTA AMARELA (Ricardo Azevedo), A GALINHA QUE SUBIU ATÉ O CÉU (versão de conto tradicional africano), O MISTÉRIO DAS ILHAS PACHACAMAC (Conto tradicional peruano), O NUNCA TÁ CONTENTE (conto popular australiano, na versão do escritor francês Albums du Père Castor).    No dia 12/08, quarta-feira, a atividade será direcionada para escolas com agendamento prévio através do e-mail saladeleitura@cidadedasartes.org ou pelo telefone 3325-0448. [+] saiba mais 1 Paul Taylor Dance Company 15/08 a 16/08 Dança Paul Taylor é o maior expoente vivo da dança moderna americana, com a criação de 142 coreografias desde 1954, quando fundou a Paul Taylor Dance Company. Através da sua dança, Paul Taylor  traduz a complexidade da vida e as agruras da sociedade. Bailarino por excelência durante  20 anos, em 1974  volta-se exclusivamente para a criação de suas coreografias, dando origem aos seus mais reconhecidos clássicos - Esplanade e Arden Court.   Suas obras são executadas pela Companhia Paul Taylor,Taylor 2 e companhias de ballet e dança contemporânea de todo o mundo. Em 2015 funda a PAUL TAYLOR’S AMERICAN MODERN DANCE para apresentar no Lincoln Center de Nova York, as grandes produções do passado e do presente de outros coreógrafos  e  os trabalhos resultantes de uma nova geração.   Ele ganhou muitas honras e prêmios,incluindo um Emmy Award de 1992.  Em 1998 a vida  de Taylor é retratada no documentário Dancemaker, premiado pelo Kennedy Center e indicado ao Oscar.  Paul Taylor é ainda o  autor da celebrada biografia, Paul Taylor Private Domain. [+] saiba mais 1 Fujima Kanjuro 21/08 a 22/08 Dança O Bailarino Fujima Kanjuro, um dos mais importantes nomes da dança japonesa, estreia em solo brasileiro com a sua companhia.   Representante do Kabuki, arte cênica secular do país asiático, com mais de 400 anos de existência, é neto de Fujima Kanjuro IV e filho de Fujima Kanso III, ambos coreógrafos influentes do gênero. O espetáculo traz sete bailarinos, além de doze músicos comandados pelo maestro Nakamura Masaharu. A palavra Kabuki é constituída de três sílabas, que significam cantar (Ka), dançar (bu) e representar (ki).   [+] saiba mais 1 Oficina “Folias Brasileiras” 19/08 e 22/08 Arte e Educação A oficina “Folias Brasileiras” apresenta atividades que celebram a cultura popular, tendo a Literatura de Cordel como base central. Uma divertida contação de histórias utilizando diversas manifestações artísticas como: o cordel nordestino, o teatro de mamulengo, os brincantes, os folguedos, as danças populares, o repente e a xilogravura.    No dia 19/08, quarta-feira, a atividade será direcionada para escolas com agendamento prévio através do e-mail saladeleitura@cidadedasartes.org ou pelo telefone 3325-0448. [+] saiba mais 1 Jazz Makoto Kuriya 27/08 a 28/08 Música Nascido em Kobe, no Japão, graduado na West Virginia University, Makoto Kuriya passou parte dos anos 80 nos Estados Unidos, realizando turnês com Chuck Mangione, ganhador do Grammy.   Kuriya voltou ao Japão em 1990, onde realizou a trilha sonora para o "Neo Genesis Evangelion" e uma série de gravações vencedoras de muitos prêmios, com sucesso internacional.   Desde 2001, Kuriya esteve compondo e produzindo canções para o artista pop mais vendido, Ken Hirai. Em 2002, ele completou a trilha sonora do filme "Nitaboh", executada pela Warsaw Royal Philharmonic Orchestra. Em 2004, Kuriya se apresentou junto com seu próprio grupo e Herbie Hancock, no "Tkokyo Jazz", o maior festival de Jazz no Japão, e em Paris para o "International Music Day" com grandes estrelas como Billy Cobham, John Faddis e Jonny Griffin, realizado pela Unesco.   Desde 2005 até hoje, Kuriya realiza turnês europeias incluindo países como França, Inglaterra, Itália, Hungria, Polônia, Alemanha, e também outras partes do mundo como Egito, Taiwan e Austrália, formando diferentes trios e grupos para performances e também realizando workshops e atividades colaborativas com artistas locais.   [+] saiba mais 1 Espetáculo Infantil “Folclore, festas e mitos” Teatro de bonecos 26/08 e 29/08 Arte e Educação A montagem traz os principais elementos de nossa mitologia popular como o Saci-pererê, o Boitatá, a Yara, o Boto, o Lobisomen, a Mula-sem-cabeça e outros seres sempre em situações musicais e divertidas.    No dia 26/08, quarta-feira, a atividade será direcionada para escolas com agendamento prévio através do e-mail saladeleitura@cidadedasartes.org ou pelo telefone 3325-0448. [+] saiba mais 1 MAXIM VENGEROV, violino e LONG YU, regente Shanghai Symphony Orchestra 31/08 Música MAXIM VENGEROV, violino LONG YU, regente SHANGHAI SIMPHONY ORCHESTRA   Shanghai Symphony Orchestra é o mais antigo conjunto do gênero da Ásia, com 135 anos de existência, sendo também o mais famoso do continente. Originalmente conhecida como Banda Pública de Shanghai, transformou-se em uma orquestra em 1907 e em 1922 recebeu o nome de Orquestra Sinfônica de Shanghai.   A Orquestra vem empreendendo desde 1970 sucessivas turnês ao exterior e em 1990 fez a sua estreia no Carnegie Hall, de Nova York. Foi a primeira orquestra chinesa se apresentar na Berliner Philharmonie, em 2005, marcando o 125º aniversário do conjunto - um grande sucesso de crítica e público. Em 2010 realizou o seu maior concerto ao ar livre, em comemoração ao  título que recebeu de ‘Embaixador Cultural da World Expo 2010 Shanghai’,atraindo para o Central Park, em NY mais de 100 mil pessoas.   Sobre Maxim Vengerov    Iniciou os seus estudos de violino aos quatro anos de idade e deu o seu primeiro recital um ano depois, interpretando obras de Paganini,Tchaikovski e Schubert. Estudou com Galina Turtschaninova em Novosibirsk e continuou a sua formação em Moscovo, com esta mesma professora, regressando depois à sua cidade natal para trabalhar com Zakhar Bron.   Aos dez anos de idade ganhou o Primeiro Prémio no Concurso Wieniawsky (Polónia) para jovens instrumentistas e em julho de 1990 foi primeiro classificado no Concurso Internacional de Violino Carl Flesch. Desde então, tem sido reconhecido como um dos maiores violinistas de sempre.   Apresentando-se regularmente com os mais prestigiados maestros e orquestras do panorama internacional, Maxim Vengerov realiza recitais em todo o mundo, recolhendo o reconhecimento generalizado da crítica e do público.   Uma outra vertente da atividade de Maxim Vengerov é a orientação de cursos de aperfeiçoamento. A estação televisiva inglesa Channel Four realizou um documentário sobre o intérprete, intitulado “Playing by Heart”, o qual inclui a filmagem de uma destas sessões de aperfeiçoamento.    Em maio de 2000, Maxim Vengerov celebrou um contrato exclusivo com a EMI Classics. Para esta editora gravou um disco com obras de Stravinski, Chtchedrin e Tchaikovski, dirigidas por Rostropovitch.   Tendo gravado para a editora Teldec Classics durante 10 anos, Maxim Vengerov recebeu, em 1996, duas nomeações para os prémios Grammy – nas categorias de Álbum Clássico do Ano e deMelhor Solista Instrumental com Orquestra – pela sua gravação dos primeiros concertos para violino e orquestra de Shostakovitch e Prokofiev. Este álbum recebeu igualmente o prémio de Melhor Gravação do Ano , concedido pela revista Gramophone. Em 1997, Vengerov recebeu o Prémio Edison para a categoria de Melhor Gravação de Concerto, atribuído à sua gravação dos Segundos Concertos de Shostakovitch e Prokofiev   Em 1997, Maxim Vengerov foi nomeado representante da UNICEF na área da música, o que lhe permitiu divulgar a sua arte junto das crianças de todo o mundo e contribuir para a angariação de fundos para programas de apoio.   Maxim Vengerov toca no extraordinário violino Ex-Kreutzer, construído por Antonio Stradivarius em Cremona (c.1723)         [+] saiba mais 1 Inusitado - Hamilton de Holanda 01/09 e 02/09 Música Grandes artistas brasileiros em um desvio de rota de suas trajetórias. É essa a proposta do Inusitado. [+] saiba mais 1 Signe Asmussen & Erik Kaltoft 12/09 Música A soprano dinamarquesa Signe Asmussen e o pianista Erik Kaltoft    Desde que se formou pela Royal Academy of Music, em Copenhagen, a soprano dinamarquesa, Signe Asmussen é reconhecida pela sua interpretação absolutamente natural, capaz de promover um ambiente intimista em suas apresentações.Trabalhou com maestros e pianistas internacionalmente renomados, como, Thomas Dausgaard, Michel Tabachnik, Franck Ollu, Lan Shui, Lars Ulrik Mortensen, Rodolfo Fischer, Michael Seal, Alexander e Howard Shelley e Peter Hill.   Signe Asmussen é considerada uma das mais notáveis sopranos do país, ganhadora do prestigiado prêmio Aksel Schiotz.   Signe participou de inúmeras produções na Opera Real de Copenhague e na Opera Nacional em Aarhus, no papel de Cherubino em” Le Nozze di Figaro”, Bertha em “il Barbiere de Siviglia”, Valencienne em “The Merry Widow”, Idamante em “Idomeneo”, além de Musette em “La Bohème”, Carmen e Micaëla em “Carmen” e mais recentemente com uma performance extraordinária como Cio-Cio San em “Madama Butterfly”.   Como solista, Signe Asmussen é dona de uma discografia primorosa, resultado do trabalho com gravadoras dinamarquesas.   Dentre eles - DaCapo e Classico, retratando compositores dinamarqueses, tais como, Otto Mortensen (Título: “songs”), Ib Norholm (Título: “Songs of their times”) e o alemão, Carl Maria Von Weber (Título: “Meine Lieder, meine sänge”).   Carl Nielsen    Compositor, maestro e violinista, Nielsen é especialmente admirado por suas seis sinfonias e pelos concertos feitos para violino, flauta e clarinete. O artista, que viveu entre 1865 e 1931, foi o sétimo dos doze filhos de uma família de camponeses pobres, porém, musicalmente talentosos, de Sortelung, sul da Dinamarca. Carl aprendeu violino e piano quando ainda era criança, investindo também em instrumentos de sopro. Mais tarde, estudou violino e teoria musical no Conservatório Musical de Copenhaga, mas nunca teve, formalmente, aulas de composição, área em que mais se destacou musicalmente.  [+] saiba mais 1 Tragédie - Olivier Dubois 12/09 Dança Olivier Dubois está dando uma forte sacudida na cena de dança contemporânea na França: ele submete os corpos nus de 18 bailarinos à repetição implacável de um mecanismo que lentamente deixa corroer o que deles se vê, até que provoca uma liberação explosiva. Esta poderosa e arrasadora "Tragédie" produz no público uma catarse coletiva. É para experimentar uma humanidade ofuscante, deslumbrante e ensurdecedora. A peça apresenta um momento arcaico, em que não se consegue mais distinguir corpos individuais emergindo à superfície de massas em movimento.   Com o "Tragédie", Olivier Dubois faz o público mergulhar numa "sensação do mundo". Humanidade não é o simples fato de ser um homem ou uma mulher, e aqui reside a tragédia da nossa existência, porque é apenas entre corpos, e através da gravidade dos nossos passos e do nosso compromisso consciente e voluntário, que a humanidade verdadeiramente vai surgir.     Classificação etária: 18 anos (cenas de nudez) [+] saiba mais 1 Natalie Dessay, soprano & Michel Legrand, piano 18/09 a 19/09 Música Natalie Dessay, soprano  &  Michel Legrand, piano   Natalie Dessay,virtuose da ópera com renome internacional, e Michel Legrand, compositor de algumas das trilhas sonoras mais famosas da história, se apresentam aqui na Cidade das Artes e prometem dois espetáculos inesquecíveis.   Harmonizando voz, piano, baixo e percussão, Michel Legrand e Natalie Dessay revivem trilhas sonoras famosas dos filmes de Hollywood e do cinema francês. O dueto do filme Os guarda-chuvas do amor (Les Parapluies de Cherbourg), a canção Lilac Fairy’s (A fada lilás) do filme Pele de asno (Peau d’ane), e o dueto das irmãs do filme Duas garotas românticas (Les Demoiselles de Rochefort), interpretadas por Natalie Dessay e sua colega, a soprano Patricia Petibon.    A apresentação também inclui composições de Michel Legrand premiadas com Oscar - em 1983 (Yentl, com Barbara Streisand,) e em 1968 (Crown, o Magnífico, com Steve McQueen).  Os convidados especiais reúnem a conhecida harpista Catherine Michel, esposa de Michel Legrand, e o baixo-barítono Laurent Naouri, marido de Natalie Dessay. Juntos, prestam tributo a uma lenda da composição francesa moderna com  uma das estrelas da ópera mais completas e adaptáveis de sua geração na França.   Natalie Dessay descreve sua presença e afinidade no mundo da música popular como “a arte que exige grande refinamento. Uma canção como ‘Saturne’, de Georges Brassens, tem tanto valor para mim como uma ópera de Bellini.  Na ópera, interpretamos e nos deixamos levar. Na canções populares do período romântico alemão, por exemplo, ou nas melodias francesas do mesmo período, temos que ter concentração na voz – temos que aprender a dizer muito com menos energia, especialmente se estivermos usando um microfone”.   Natalie Dessay conheceu Legrand aos seis anos de idade mais ou menos, quando assistiu ao filme dirigido por Jacques Demy – um conto de fadas – A pele de asno.  “Naquela época, jamais imaginaria cantar com ele.... Acho Michel Legrand um gênio, assim como Mozart foi um gênio em seus dias.  Legrand é, também, um virtuose melódico. Ao ouvir duas notas, sabemos que a composição é dele”. [+] saiba mais 1 Workshop: O Processo Criativo com Charles Watson 03/09 a 24/09 Outros WORKSHOP: O PROCESSO CRIATIVO   PENSAMENTO CRIATIVO E CONCEITUALIZAÇÃO   AUTOR: CHARLES WATSON   O Workshop completo do Processo Criativo consiste em três módulos complementares, porém autônomos. Cada módulo contém uma série de palestras provocativas ministradas em regime intensivo.  Amplamente ilustrado com textos, vídeos e exercícios, e usando fontes das mais diversas disciplinas, as palestras demonstram que a semelhança entre as dinâmicas criativas supera a diferença entre as linguagens. Entendendo os mecanismos que limitam a criatividade, podemos desenvolver estratégias que, ludicamente, contornam essas limitações.  Desenhado para grupos multidisciplinares, incluindo empresários, publicitários, arquitetos, designers, e todos que se interessam pelo processo de inovação e para quem a geração de novas ideias se tornou fundamental, o workshop completo parte da análise dos seguintes tópicos:   MÓDULO I _OS FUNDAMENTOS   - INTRODUÇÃO / CONSIDERAÇÕES GERAIS / DEFINIÇÃO - O CONTEXTO / O CAMPO SEMÂNTICO - CRIATIVIDADE E LIMITES - DICOTOMIAS DA INOVAÇÃO - 10,000 HORAS / O LABORATÓRIO - TALENTO / TRABALHO DURO - MOTIVAÇÃO - A ENGENHARIA DO ERRO - SERENDIPITY - ETAPAS INCIPIENTES DE ESTRUTURAS ÚTEIS - MODELO PÓS DARWINIANO - O GENE INÚTIL / O MODELO EVOLUTIVO - O OLHAR DO OUTRO / BOOTSTRAPPING / DOMESTICAÇÃO DO ANÁRQUICO - COMPLEXIDADE / EMERGENCE E INSERÇÃO DO RANDÔMICO   Desde 2004 recomendado pelo University of the Arts London e suas escolas de arte afiliadas - Camberwell College of Arts, Central St. Martins College of Art and Design, Chelsea School of Art and Design, The London College of Fashion, The London College of Communications - como um curso de preparação para bacharelado / mestrado em arte.     Maiores informações: 3325-0448 3325-0428 saladeleitura@cidadedasartes.org  [+] saiba mais 1 Projeto Interlocuções: Psicanálise e Literatura 10/07 a 25/12 Arte e Educação Projeto  Interlocuções: Psicanálise e literatura PROJETO - "TEATRO SHAKESPEARIANO" "As criações poéticas engendram mais do que refletem as criações psicológicas." (Lacan) Entendendo o mito como uma tentativa de dar conta de um real inapreensível que escapa ao campo da linguagem, o grupo de leitura INTERLOCUÇÕES: PSICANÁLISE E LITERATURA trabalhou em 2014 duas versões consagradas do mito Don Juan, a de Molière e a de José Saramago, aprofundando a questão da narrativa mítica como uma tentativa de figurar o ser do sujeito humano. Para 2015 propomos a leitura comentada da obra HAMLET de Shakespeare, visando pensar a divisão subjetiva: "ser ou não ser" e delimitar o conceito de neurose, magistralmente ilustrado pelo personagem Hamlet, em sua dupla estrutura: histeria e obsessividade.   Atividade gratuita e aberta a interessados. Todas as sextas, sempre às 15h, na Sala de Leitura da Cidade das Artes.  Coordenação: Marília Flores e Gilda Pitombo. [+] saiba mais