Fundação Cidade das Artes

Programação » Medalhas de Ouro do Piano - Vadym Kholodenko

Evento Encerrado

Medalhas de Ouro do Piano - Vadym Kholodenko

vadym

Release

A série MEDALHAS DE OURO DO PIANO apresenta em 2014, na Cidade das Artes, três extraordinários jovens pianistas vencedores dos concursos internacionais de piano de maior prestígio no mundo.


Programação

21 de Setembro – 17 horas

VADYM KHOLODENKO (27 anos) – Pianista vencedor do Concurso Internacional Van Cliburn nos Estados Unidos

 

Programa: Liszt, Debussy e Stravisnky

 

Em 2013, Vadym Kholodenko venceu o 1º Prêmio e o prêmio de “Melhor Intérprete de Música de Câmara” no Concurso Internacional Van Cliburn, nos Estados Unidos. Ele também recebeu o 1º Prêmio no Schubert Piano Competition  (2012, Alemanha) e 1º Prêmio no Sendai Piano Competition (2010, Japão).

 

Kholodenko foi convidado pelo Maestro Valery Gergiev para ser artista em residência do Teatro Mariinsky, onde se apresentou em várias ocasiões. Tocou também sob a direção de Leonard Slatkin, Yuri Bashmet e Vladimir Spivakov na Europa, Estados Unidos e na Ásia. Recentemente, Vadym tocou com a Orquestra da Filadélfia, recebendo a unanimidade do público e da crítica especializada.

Música

Informações Gerais

Datas

21/09

Horários

17:00

Local

Cidade das Artes

Sala

Sala I

Preços

Plateia: R$ 30,00

Em caso de compra de ingresso pelo call center ou pelo site é possível escolher somente o setor que você deseja. O próprio sistema identifica as cadeiras livres no setor escolhido e emite os ingressos referentes aos lugares vagos. Comprando o ingresso diretamente na bilheteria da Cidade das Artes é possível escolher setor e cadeira.

Demais Eventos da Programação

1 Projeto Interlocuções - Projeto Shakespeareano 06/03 a 25/12 Arte e Educação "As criações poéticas engendram mais do que refletem as criações psicológicas." (Lacan)   Entendendo o mito como uma tentativa de dar conta de um real inapreensível que escapa ao campo da linguagem, o grupo de leitura INTERLOCUÇÕES: PSICANÁLISE E LITERATURA trabalhou em 2014 duas versões consagradas do mito Don Juan, a de Molière e a de José Saramago, aprofundando a questão da narrativa mítica como uma tentativa de figurar o ser do sujeito humano. Para 2015 propomos a leitura comentada da obra HAMLET de Shakespeare, visando pensar a divisão subjetiva: "ser ou não ser" e delimitar o conceito de neurose, magistralmente ilustrado pelo personagem Hamlet, em sua dupla estrutura: histeria e obsessividade. [+] saiba mais 1 Ionesco - O Rinoceronte 29/05 a 31/05 Teatro O Théâtre de la Ville de Paris traz pela primeira vez ao Brasil  obras de Eugène Ionesco, o mestre do Teatro do Absurdo -  O Rinoceronte e Ionesco Suite. Ambas têm a assinatura do diretor Emmanuel Demarcy-Mota, desde 2008 à frente do palco parisiense, um dos mais conceituados do mundo ocidental.   O RINOCERONTE   Segundo Emmanuel Demarcy-Mota, “O rinoceronte é conhecido como um animal teimoso, obstinado, assim como eu. Quis fazer com que essa estranha peça fosse revista e provocasse novas reações”.   Escrita por Ionesco em 1959, a fábula teve sua estreia em Paris no ano seguinte, dirigida e estrelada por Jean-Louis Barrault. Em 1961, entrou em cartaz simultaneamente em Londres, com Laurence Olivier no papel principal e direção de Orson Welles, e em Nova York, com Zero Mostel como protagonista. Tida como uma parábola à invasão da Europa pelo fascismo, “O Rinoceronte” traz o horror do que Ionesco chamou de histeria coletiva.   O argumento é simples: num vilarejo, a população vai gradual e inexplicavelmente se transformando em rinocerontes, à exceção de um de seus habitantes, Bérenger, que assiste à transmutação de todos. “Procurei fazer com que as camadas de significado emergissem, como numa escavação arqueológica em que topamos com um tesouro oculto. Neste mundo em transformação, a parábola se presta a incríveis novas interpretações”, conta Demarcy.    A encenação em FRANCÊS tem legendas em PORTUGUÊS.   [+] saiba mais 1 Exibição do filme (O Vento Lá Fora) e conversa com o diretor Marcio Debellian 30/05 Arte e Educação Maria Bethânia, Cleonice Berardinelli e as poesias de Fernando Pessoa   (O Vento Lá Fora) é um retrato do poeta Fernando Pessoa criado a partir da leitura de seus poemas pela professora Cleonice Berardinelli, de 98 anos, imortal da Academia Brasileira de Letras, reconhecida como a maior especialista em Pessoa no Brasil, e pela cantora Maria Bethânia, que ao longo de quase 50 anos de carreira popularizou a obra do poeta em shows e discos. [+] saiba mais 1 OSB - Concertos da Juventude 30/05 Música Ministério da Cultura, BG Brasil, Vale, Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, BNDES e Cidade das Artes apresentam OSB - Concertos da Juventude.   Uma das peças de câmara mais significativas do período romântico, o Quinteto para Cordas e Piano em Lá Maior, D. 667, de Franz Schubert (1797- 1828), foi uma encomenda do mecenas austríaco Sylvester Paumgartner. O compositor tinha 22 anos de idade quando o compôs, em 1819. A peça apresenta instrumentação pouco comum, com a utilização do contrabaixo em lugar de um segundo violino, que tradicionalmente fazia parte dos quintetos compostos na época . O resultado é uma ampliação da tessitura e consequente clareza na exposição das melodias, um das características marcantes da obra de Schubert (o compositor escreveu mais de 600 canções!   O Quinteto é composto em cinco movimentos. Por sugestão de Paumgartner, Schubert utiliza o tema de uma de suas canções, escrita poucos anos antes - Die Forelle (A Truta), nome pelo qual a peça é mais conhecida atualmente. A canção é apresentada no quarto movimento, Andantino - Allegretto, e serve como base para uma série de cinco variações em que todos os instrumentos apresentam a melodia, cada um de forma diferente. Nesta obra se percebe a inspiração melódica do compositor, bem como ideais do movimento romântico, que se expressam no uso alargado de estruturas clássicas, como forma e instrumentação. Para o Concerto da Juventude, os ingressos no valor único de R$ 1 estarão à venda na bilheteria da Cidade das Artes uma hora antes do início da apresentação. [+] saiba mais 1 Ionesco Suite 30/05 a 31/05 Teatro O Théâtre de la Ville de Paris traz pela primeira vez ao Brasil  obras de Eugène Ionesco, o mestre do Teatro do Absurdo -  O Rinoceronte e Ionesco Suite. Ambas têm a assinatura do diretor Emmanuel Demarcy-Mota, desde 2008 à frente do palco parisiense, um dos mais conceituados do mundo ocidental.   IONESCO SUITE   Nascida de um processo de pesquisa e exercício de Emmanuel Demarcy–Mota com seus atores, “Ionesco Suíte” traz cenas de cinco peças do dramaturgo, “A Cantora Careca”, “A Lição”, “Jacques ou A Submissão”, “Delírio a Dois” e “Exercícios de Conversação e Dicção - Francesa para Estudantes Americanos”. Os trechos foram costurados através de temas como família, vida escolar e casamento.   Em 2015, completam-se dez anos do ínicio desse trabalho, “que continua evoluindo”. São excertos de diversas obras da primeira fase de Ionesco, nos anos 1950, “período de reconstrução e esperança, mas ainda povoado pela dor do conflito e onde o entusiasmo ideológico estava congelado pela guerra fria”. Os trechos foram combinados e remisturados debaixo de situações de família, de casais, da vida escolar. É como um teatro burlesco que escapa do convencional final feliz exigido pelo público burguês.     [+] saiba mais kafig Rio H2K - Espetáculo Agwa e Correria - Cia Kafig 05/06 Dança Agwa/Correria | Cia Käfig Companhia de hip hop Käfig, de Créteil, dirigida pelo coreógrafo Francês Mourad Merzouki Diferente dos demais grupos, todos os dançarinos são  jovens, em torno dos 20 anos, autodidatas, que cresceram nas favelas. Segundo o diretor da companhia numa entrevista, a razão para eles dançarem é que eles cresceram num ambiente difícil, e foi uma forma de fugirem desta situação. As apresentações são fortes e chamam a atenção. O diretor considerou a utilização destes dançarinos em 2006, quando o diretor do Biennale de la Dance de Lyon, Guy Darmet falou do talento deles após uma visita ao Brasil. Com isto, ele incorporou este grupo de jovens à sua equipe.    A companhia  Käfig, que significa gaiola em Arábico, já apresentou deste então mais de 1.000 espetáculos em 250 cidades em todo o mundo.   Agwa fez sua estreia em 2008 na Biennale de la Danse de Lyon, e desde lá o grupo ganhou notoriedade, apresentando-se em muitos locais na França, incluindo o Theatre National de Chaillot, em Paris. Ele queria um tema universal, que saísse do estereótipo do samba e futebol.  No Agwa, os dançarinos usam copos plásticos transparentes, com movimentos fluentes, algumas vezes com conjuntos de 11 copos, acompanhando o ritmo da percussão. Eles fazem um conjunto de outras manobras.    No Correria, é como estivessem no cotidiano de suas vidas, envolvendo movimentos acrobáticos e dinâmicos, mostrando não só o talento dos artistas como suas capacidades físicas. Algumas coisas que o diretor aprendeu em Lyon quando criança em atividades circenses estão presentes, e já as apresentou na televisão. Ele vê uma similaridade entre os movimentos acrobáticos com o hip-hop, criado pelos afro-americanos nos Estados Unidos nos anos setenta, que chegaram à França nos anos oitenta.   Um espetáculo imperdível! A apresentação faz parte do Rio H2K 2015 - Festival Internacional de Danças Urbanas. (www.rioh2k.com.br)     [+] saiba mais 1 Cia. Histórias pra Boi Dormir – Contação de histórias brasileiras 06/06 Arte e Educação A Cia. Histórias pra Boi Dormir busca nos livros a inspiração para transmitir lendas, mitos e fábulas que despertem o desejo e a necessidade de ler. O espetáculo foi criado a partir de uma pesquisa sobre os contos populares brasileiros. Com a ajuda de figurino, adereços, fantoches e muita música, faremos uma grande viagem ao universo popular de: Festa no Céu, O casamento da Dona Baratinha e Pimenta no Cucuruco. [+] saiba mais 1 Portugal no Rio - Poema Bar 06/06 a 07/06 Teatro PORTUGAL NO RIO - Uma homenagem aos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. Artes Visuais - Gastronomia - Música - Teatro    A cultura portuguesa está ligada à localização geográfica e percurso histórico do país. Portugal nasceu no norte. Foi na região Porto e Norte que os portugueses começaram enquanto povo e nação. Portugal é a mais antiga nação da Europa e a sua abertura ao mar lançou-a nos Descobrimentos. O seu património cultural foi marcado por influências de África, América, Ásia e dos povos que aqui viveram antes da fundação, assim como o caráter afável e acolhedor dos portugueses.   Patrimônio Mundial Portugal tem 17 núcleos classificados como Patrimônio Mundial, que abrangem monumentos, centros históricos de cidades, paisagens e patrimônio imaterial. Azulejo, Estilo Manuelino, Barroco, Aldeia e Cidades, Espaços Sagrados, O fado, a Literatura, as festas e festivais e a gastronomia são alguns deles.   Neste evento, a Cidade das Artes e a Fundação Luso-Brasileira apresentam as riquezas e as singularidades da cultura deste país. [+] saiba mais 1 Portugal no Rio - Morreste-me 06/06 a 07/06 Teatro PORTUGAL NO RIO - Uma homenagem aos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. Artes Visuais - Gastronomia - Música - Teatro    A cultura portuguesa está ligada à localização geográfica e percurso histórico do país. Portugal nasceu no norte. Foi na região Porto e Norte que os portugueses começaram enquanto povo e nação. Portugal é a mais antiga nação da Europa e a sua abertura ao mar lançou-a nos Descobrimentos. O seu património cultural foi marcado por influências de África, América, Ásia e dos povos que aqui viveram antes da fundação, assim como o caráter afável e acolhedor dos portugueses.   Patrimônio Mundial Portugal tem 17 núcleos classificados como Patrimônio Mundial, que abrangem monumentos, centros históricos de cidades, paisagens e patrimônio imaterial. Azulejo, Estilo Manuelino, Barroco, Aldeia e Cidades, Espaços Sagrados, O fado, a Literatura, as festas e festivais e a gastronomia são alguns deles.   Neste evento, a Cidade das Artes e a Fundação Luso-Brasileira apresentam as riquezas e as singularidades da cultura deste país.   [+] saiba mais 1 Rio H2K - Espetáculo Borderline - Cie Wang Ramirez 07/06 Dança Borderline - Cia Sebastien Ramirez   Com Borderline, os coreógrafos Sebastian Ramirez  e Honji Wang  decidiram se livrar da última fronteira do corpo - a gravidade. Inspirado por suas biografias e de seus pais, os bailarinos vão escrever o seu presente, as suas próprias fronteiras e enfrentar os seus limites de gravidade, emoção e transcendência, em um espetáculo que integra a dança e efeitos especiais. Sebastian Ramirez, dançarino do estilo de hip hop/break dance, se estabelece no mundo da dança com linguagem própria. Honji Wang vem de uma cultura alemã e coreana, com uma dupla formação artística - no clássico e hip hop.   Borderline possui solos, duetos e movimentos de grupos interligados.  Pontuada por pequenos momentos de drama, apoiada por uma trilha sonora perfeitamente esculpida por Jean-Philippe Barrios. Tudo faz sentido, tudo dança - andar, falar, respirar e viver com segurança. É um compromisso total de corpo, mente, físico, que vai do estético ao poético e que compartilha as experiências com talentosos dançarinos. A apresentação faz parte do Rio H2K 2015 - Festival Internacional de Danças Urbanas.  (www.rioh2k.com.br) [+] saiba mais 1 Portugal no Rio - Orquestra Sinfônica Brasileira 10/06 Música PORTUGAL NO RIO - Uma homenagem aos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. Artes Visuais - Gastronomia - Música - Teatro    A cultura portuguesa está ligada à localização geográfica e percurso histórico do país. Portugal nasceu no norte. Foi na região Porto e Norte que os portugueses começaram enquanto povo e nação. Portugal é a mais antiga nação da Europa e a sua abertura ao mar lançou-a nos Descobrimentos. O seu património cultural foi marcado por influências de África, América, Ásia e dos povos que aqui viveram antes da fundação, assim como o caráter afável e acolhedor dos portugueses.   Patrimônio Mundial Portugal tem 17 núcleos classificados como Patrimônio Mundial, que abrangem monumentos, centros históricos de cidades, paisagens e patrimônio imaterial. Azulejo, Estilo Manuelino, Barroco, Aldeia e Cidades, Espaços Sagrados, O fado, a Literatura, as festas e festivais e a gastronomia são alguns deles.   Neste evento, a Cidade das Artes e a Fundação Luso-Brasileira apresentam as riquezas e as singularidades da cultura deste país.     OSB faz estreia mundial de peça do compositor português Luis Tinoco em concerto regido pelo maestro norte americano Tito Muñoz, Diretor Musical da Sinfônica de Phoenix.   O repertório conta com a estreia mundial de “Incipit”, obra criada especialmente para celebrar os 450 anos do Rio de Janeiro pelo compositor português.O programa ainda traz obras dos americanos Bernstein e Copland, além da sexta sinfonia de Tchaikovsky, "Patética".     [+] saiba mais 1 Os Monstros Mais Medrosos do Mundo – Bate-papo com a escritora e ilustradora Paula Brawne 10/06 Arte e Educação Todo mundo tem medo de monstro. Até mesmo... os monstros! Como é que pode? É o que mostra a escritora e ilustradora Paula Browne em Os monstros mais medrosos do mundo, seu último livro publicado pela Editora Rocco Pequenos Leitores. Nesse animado bate-papo, a autora conta um pouco do processo criativo deste livro e propõe uma atividade para o público presente. [+] saiba mais 1 Portugal no Rio - Bordallianos do Brasil 11/06 a 28/06 Artes Visuais PORTUGAL NO RIO - Uma homenagem aos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. Artes Visuais - Gastronomia - Música - Teatro    A cultura portuguesa está ligada à localização geográfica e percurso histórico do país. Portugal nasceu no norte. Foi na região Porto e Norte que os portugueses começaram enquanto povo e nação. Portugal é a mais antiga nação da Europa e a sua abertura ao mar lançou-a nos Descobrimentos. O seu património cultural foi marcado por influências de África, América, Ásia e dos povos que aqui viveram antes da fundação, assim como o caráter afável e acolhedor dos portugueses.   Patrimônio Mundial Portugal tem 17 núcleos classificados como Patrimônio Mundial, que abrangem monumentos, centros históricos de cidades, paisagens e patrimônio imaterial. Azulejo, Estilo Manuelino, Barroco, Aldeia e Cidades, Espaços Sagrados, O fado, a Literatura, as festas e festivais e a gastronomia são alguns deles.   Neste evento, a Cidade das Artes e a Fundação Luso-Brasileira apresentam as riquezas e as singularidades da cultura deste país.     A EXPOSIÇÃO   ARTISTAS RENOMADOS DA ARTE CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA   Artistas plásticos, designers e estilistas brasileiros participam do projeto de releitura do legado artístico de Rafael Bordallo Pinheiro durante o  Portugal no Rio    O projeto consiste em uma releitura do legado artístico de Rafael Bordallo Pinheiro, contada em 20 peças desenvolvidas por grandes nomes brasileiros: Adriana Barreto, Barrão, Caetano de Almeida, Efrain de Almeida, Erika Versutti, Estela Sokol, Fábio Carvalho, Frida Baranek, Isabela Capeto, Laerte Ramos, Marcos Chaves, Maria Lynch, Martha Medeiros, Regina Silveira, Saint Clair Cemin, Sérgio Romagnolo, Tiago Carneiro da Cunha, Tonico Auad, Tunga e Vik Muniz.   Durante o processo criativo, cada um dos artistas convidados residiu durante 10 dias na fábrica Bordallo Pinheiro em Caldas da Rainha, região central de Portugal, onde puderam se familiarizar com todas as técnicas de fabricação das peças, conhecer o enorme legado histórico da marca e buscar inspiração para a confecção das peças. O objetivo central era que os artistas captassem a paixão, criatividade, a consciência social, o humor e a transgressão de ideias difundidas em peças que são um verdadeiro patrimônio artístico e histórico da cultura portuguesa. O projeto culminou na criação de uma coleção de 20 itens únicos, limitada a 250 exemplares,  com “sotaque brasileiro”.            [+] saiba mais 1 Portugal no Rio - Rodrigo Leão 12/06 Música PORTUGAL NO RIO - Uma homenagem aos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. Artes Visuais - Gastronomia - Música - Teatro    A cultura portuguesa está ligada à localização geográfica e percurso histórico do país. Portugal nasceu no norte. Foi na região Porto e Norte que os portugueses começaram enquanto povo e nação. Portugal é a mais antiga nação da Europa e a sua abertura ao mar lançou-a nos Descobrimentos. O seu património cultural foi marcado por influências de África, América, Ásia e dos povos que aqui viveram antes da fundação, assim como o caráter afável e acolhedor dos portugueses.   Patrimônio Mundial Portugal tem 17 núcleos classificados como Patrimônio Mundial, que abrangem monumentos, centros históricos de cidades, paisagens e patrimônio imaterial. Azulejo, Estilo Manuelino, Barroco, Aldeia e Cidades, Espaços Sagrados, O fado, a Literatura, as festas e festivais e a gastronomia são alguns deles.   Neste evento, a Cidade das Artes e a Fundação Luso-Brasileira apresentam as riquezas e as singularidades da cultura deste país. [+] saiba mais 1 Workshops de Dança da Kompagni B 16/06 a 17/06 Arte e Educação Nos dias 16 e 17 de junho, os bailarinos da Kompagni B ‐ a primeira companhia de teatro infantil do mundo que é feita por crianças – visita a Cidade das Artes e irá oferecer workshops para crianças de 7 a 11 que terão acesso aos passos e pulos básicos do balé. A Kompagni B é uma iniciativa de profissionalização juvenil criada pelo Balé Real Dinamarquês. Uma companhia criada para e pelos jovens alunos bailarinos na faixa de idade de 12 a 16 anos.  Esta atividade é uma parceria com o Instituto Cultural da Dinamarca.   Inscrições pelo e-mail danilo.cidadedasartes@gmail.com [+] saiba mais 1 Video Ataq 19/06 Artes Visuais A nona edição do Video Ataq chega à Cidade das Artes reafirmando o conceito do evento que alia arte e tecnologia, combinando música, imagens em tempo real, projeções, instalações e performances audiovisuais.   Com grande apuro estético e com conteúdo cultural de qualidade para atrair jovens e adultos, o evento apropria-se das festas de rua e do experimentalismo em meio à cultura digital.   O Video Ataq vai integrar a programação da Semana Francesa da Câmara de Comércio França-Brasil e recebe o apoio do Instituto Francês.   A programação inclui a ocupação do Teatro de Câmara e da área externa da esplanada no 1º andar da Cidade das Artes.   A atração internacional deste ano será o Nonotak, duo franco-japonês de Noemi Schipfer e Takami Nakamoto. Os artistas criam um espaço virtual e real em sincronismo melódico e técnico cruzam com imagens mapeadas de projeção em estruturas geométricas multi-tela. Parte instalação de arte visual e parte música eletrônica ao vivo, as criações da Nonotak são um espetáculo para ser visto, e um universo incomparável de metamorfose sonora, fácil o suficiente para se perder dentro. Eles irão apresentar a obra "Especulação tardia" (Late Speculation),numa cabine triangular feita a partir de três telas no qual Noemi cria um desenho de luz interagindo com um glitch experimental composto por Takami. Expandindo sua participação, a dupla criará uma instalação especial que vai ocupar a área externa dialogando com a arquitetura local. https://vimeo.com/127657586 [+] saiba mais 1 Portugal no Rio - António Zambujo e Carminho 20/06 Música PORTUGAL NO RIO - Uma homenagem aos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. Artes Visuais - Gastronomia - Música - Teatro    A cultura portuguesa está ligada à localização geográfica e percurso histórico do país. Portugal nasceu no norte. Foi na região Porto e Norte que os portugueses começaram enquanto povo e nação. Portugal é a mais antiga nação da Europa e a sua abertura ao mar lançou-a nos Descobrimentos. O seu património cultural foi marcado por influências de África, América, Ásia e dos povos que aqui viveram antes da fundação, assim como o caráter afável e acolhedor dos portugueses.   Patrimônio Mundial Portugal tem 17 núcleos classificados como Patrimônio Mundial, que abrangem monumentos, centros históricos de cidades, paisagens e patrimônio imaterial. Azulejo, Estilo Manuelino, Barroco, Aldeia e Cidades, Espaços Sagrados, O fado, a Literatura, as festas e festivais e a gastronomia são alguns deles.   Neste evento, a Cidade das Artes e a Fundação Luso-Brasileira apresentam as riquezas e as singularidades da cultura deste país. [+] saiba mais 1 Portugal no Rio - Sombras 03/07 a 05/07 Teatro Sombras sonda o modo de ser português, indagando lugares do nosso inconsciente mítico e da nossa personalidade histórica. “Portugal: questão que tenho comigo mesmo”, segundo a bela fórmula do poeta Alexandre O’Neill. Tributo apaixonado às mais belas palavras escritas em português, dadas a ver e ouvir por Ricardo Pais ao longo da sua carreira de director teatral (António Ferreira, Almeida Garrett, Alexandre O’Neill, Fernando Pessoa), Sombras faz-se também do Fado e da música, cuja fatalidade cênica nos foi dado descobrir em espetáculos tão exaltantes quanto Raízes Rurais. Paixões Urbanas (1997) e Cabelo Branco é Saudade (2005).   Com uma equipe de exceção - na qual se contam o videasta italiano Fabio Iaquone, o compositor Mário Laginha e o coreógrafo Paulo Ribeiro -, estas Sombras irradiam a feliz luminosidade de uma síntese. Nelas se cruzam a Fala, o Canto, a Dança, o Vídeo, linguagens que Ricardo Pais foi talentosamente explorando ao longo do seu percurso artístico.   Estreado em Novembro de 2010, com assombroso êxito, no palco do Teatro Nacional São João, no Porto, Sombras percorreu vários palcos em Portugal, tendo ainda lotado o emblemático Théâtre de la Ville, em Paris, e, mais recentemente, tomado parte do mais importante festival de teatro de Moscovo, o Festival Internacional de Teatro Tchékhov.   Agora, Sombras regressa ao Brasil, onde em 2012 foi saudado pelo público e pela crítica. Nas páginas do Estado de São Paulo, o crítico Jefferson Del Rios destacava “a criatividade de Ricardo Pais”, o “brilhante elenco”, o “sofisticado trabalho multimídia”, para concluir: “Uma grande viagem artística em nome do intrigante paradoxo de Sombras: nossa tristeza é uma imensa alegria”.   Com a apresentação de Sombras no Rio de Janeiro, acrescenta-se um novo capítulo ao romance histórico que o TNSJ vem escrevendo com o Brasil desde Madame, com Eunice Muñoz e Eva Wilma (direção Ricardo Pais, 2000). No centro dessa obra aberta está a apaixonante aventura da Língua Portuguesa e seus acentos. [+] saiba mais 1 Inusitado - Anitta/Arlindo Cruz e Arnaldo Antunes 07/07 a 08/07 Música Concebido com o objetivo de proporcionar a artistas renomados, de áreas distintas, novas possibilidades de experimentação criativa, o projeto Inusitado inaugurou em abril, na Cidade das Artes, a sua terceira edição. O idealizador e curador da série, André Midani - um dos nomes mais importantes da indústria fonográfica brasileira nos últimos 60 anos -, responde pela seleção do elenco, mas deixa a cargo dos artistas a escolha e elaboração do que será apresentado.   “Os artistas têm carta branca para pensar e executar quaisquer ideias que venham à cabeça, com a condição de que estas estejam fora dos padrões normais de suas trajetórias. É uma oportunidade para saírem da zona de conforto e emprestarem frescor ao processo criativo”, explica Midani. Alcione abriu a temporada com um show Inusitado, cantando clássicos da música francesa. Em seguida, o projeto apresentou Zélia Duncan em homenagem a Milton Nascimento.   Agora é a vez de ANITTA, ARLINDO CRUZ E ARNALDO ANTUNES  com um show absolutamente  INUSITAAADO - SAMBA/ROCK/FUNK!   ANITTA   Em 2013, Anitta firmou seu nome no cenário musical ao lançar ''Show Das Poderosas'', a música e o seu clipe venceram as categorias "Música Chiclete" e "Melhor Clipe", respectivamente, do Prêmio Multishow de Música Brasileira 2013. No mesmo ano, a cantora e compositora também foi eleita “Cantora Revelação” pelo iTunes e pelos críticos da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), Prêmio Melhores do Ano no segmento melhor canção do Domingão do Faustão. Virou um fenômeno nacional e alcançou o top das paradas de sucesso das rádios, até janeiro de 2014, suas músicas chegaram a mais de 200 milhões de views no Youtube. A revista americana Forbes comparou Anitta como a Shakira por conta do "World Music Appeal" (apelo musical mundial) e afirmou que a cantora tinha potencial para ser uma superstar global.     ARLINDO CRUZ   Arlindo Cruz é, com certeza, um dos maiores artistas vivos do Brasil. Descendente de uma linhagem musical que está nas origens do samba na Casa da Tia Ciata com Donga, Pixinguinha e Joāo da Baiana, passando pelas rodas de samba promovidas por Candeia, chegando aos pagodes no Cacique de Ramos e o grupo Fundo de Quintal, Arlindo Cruz carrega com propriedade e orgulho o legado das religiões afro-brasileiras. Ele, mais do que ninguém, sabe da magia e da riqueza que há no som dos atabaques.   Arlindo é músico profissional, exímio nas cordas dedilhadas, sobretudo cavaquinho e banjo. Se não fosse compositor e cantor, poderia viver disso. Suas composições, sempre com interessantes soluções harmônicas e melodias trabalhadas, revelam que foram feitas por um músico (o que no samba, cheio de compositores mais intuitivos que técnicos, é um curioso diferencial).   Logo aos sete anos, o menino ganhou o primeiro cavaquinho. Empolgado com o instrumento, esperava ansioso o pai chegar do trabalho para aprender a tocar. Aos 12 já tirava muitas músicas de ouvido, e, como seu irmão, Acyr Marques, aprendia violão.   Arlindo Cruz tem mais de 550 músicas gravadas por diversos artistas e é considerado o responsável pela proliferação do banjo no samba. Arlindo Cruz saiu do Fundo de Quintal em 1993 e começou um carreira solo, logo depois fez parceria com Sombrinha. e anos depois se casou e teve um filho lindo chamado Arlindo também.   A partir de meados da década de 90, Arlindo passou a concorrer nas disputadas eliminatórias de samba enredo de sua escola de samba do coração: o Império Serrano. A primeira vitória foi em 1996, no enredo “E verás que um filho teu não foge à luta”. Arlindo emplacou o hino imperiano também no ano seguinte, mas a escola acabou caindo para o Grupo de Acesso A. Arlindo ainda venceu na Serrinha em 1999, 2001 – samba que ganhou o Estandarte de Ouro do jornal O Globo, 2003, 2006 e 2007.   Arlindo concorreu em 2008 pela primeira vez em outra escola. Ele venceu na Grande Rio no enredo “Do Verde de Coarí Vem Meu Gás, Sapucaí!”. Desde que começou a disputar nas eliminatórias, Arlindo Cruz já venceu 8 vezes!   Hoje em dia Arlindo prossegue em carreira solo, na evolução do samba. Da Madureira do Império Serrano e do Pagode do Arlindo, das rodas de partido-alto de quartas à noite e domingos à tarde na quadra do bloco carnavalesco Cacique de Ramos, Arlindo Cruz prossegue essa linhagem já lá se vão 30 anos.     [+] saiba mais 1 Inusitado - Kassin 21/07 a 22/07 Música Alexandre Kassin não é apenas um dos melhores produtores do país, nome associado a superbacanas como Caetano Veloso, Los Hermanos, Vanessa da Mata, Jorge Mautner  e Adriana Calcanhoto. Desde o começo dos anos 90, na banda Acabou La Tequila, que o multi-instrumentista carioca traz invenção e referências da melhor qualidade aos sons em que põe a mão. Sejam elas com ou sem pedigree, de alta ou baixa gastronomia musical, como quem ouve “Pagodes” de Debussy * numa churrascada com a turma do Bangu Water Planet**.  Foi assim na Orquestra Imperial e em todos os inúmeros trabalhos de que participou, envolvendo Lenine, Marisa Monte, Bebel Gilberto, Macalé... No combo + 2, formado com os amigos Moreno Veloso e Domenico Lancellotti, Kassin foi além e, ainda que despretensiosamente, ao longo de quatro discos lançados entre 2000 e 2009, ajudou a inaugurar novas órbitas para a tal da MPB.  [+] saiba mais