Fundação Cidade das Artes

Programação » Medalhas de Ouro do Piano - Vadym Kholodenko

Evento Encerrado

Medalhas de Ouro do Piano - Vadym Kholodenko

vadym


A série MEDALHAS DE OURO DO PIANO apresenta em 2014, na Cidade das Artes, três extraordinários jovens pianistas vencedores dos concursos internacionais de piano de maior prestígio no mundo.


21 de Setembro – 17 horas

VADYM KHOLODENKO (27 anos) – Pianista vencedor do Concurso Internacional Van Cliburn nos Estados Unidos

 

Programa: Liszt, Debussy e Stravisnky

 

Em 2013, Vadym Kholodenko venceu o 1º Prêmio e o prêmio de “Melhor Intérprete de Música de Câmara” no Concurso Internacional Van Cliburn, nos Estados Unidos. Ele também recebeu o 1º Prêmio no Schubert Piano Competition  (2012, Alemanha) e 1º Prêmio no Sendai Piano Competition (2010, Japão).

 

Kholodenko foi convidado pelo Maestro Valery Gergiev para ser artista em residência do Teatro Mariinsky, onde se apresentou em várias ocasiões. Tocou também sob a direção de Leonard Slatkin, Yuri Bashmet e Vladimir Spivakov na Europa, Estados Unidos e na Ásia. Recentemente, Vadym tocou com a Orquestra da Filadélfia, recebendo a unanimidade do público e da crítica especializada.

Música

Informações Gerais

Datas

21/09

Horários

17:00

Local

Cidade das Artes

Sala

Sala I

Classificação Etária

Livre

Preços

Plateia: R$ 30,00

Em caso de compra de ingresso pelo call center ou pelo site é possível escolher somente o setor que você deseja. O próprio sistema identifica as cadeiras livres no setor escolhido e emite os ingressos referentes aos lugares vagos. Comprando o ingresso diretamente na bilheteria da Cidade das Artes é possível escolher setor e cadeira.

Demais Eventos da Programação

Cidade Jacaranda | Ocupação Artística e Bate-papo com Raul Mourão 23/07 a 30/12 Artes Visuais Bate-papo com o artista plástico carioca Raul Mourão - 29/10 às 17h  Participe e curta a exposição!   Exposição “Cidade Jacaranda”, com obras de Carlos Vergara & Zanini de Zanine, José Bechara, Afonso Tostes, Daniel Senise, Iole de Freitas, Vicente de Mello, Raul Mourão, Beth Jobim, Vik Muniz, Angelo Venosa, Arjan Martins,Paulo Vivacqua, Cabelo e Coletivo Organicidade. A mostra, que fica em cartaz durante todo o período dos jogos Olímpicos e Paralímpicos, até o dia 30 de dezembro, celebra o início da parceria entre a plataforma Jacaranda e a Cidade das Artes, com o objetivo de promover um panorama relevante da arte contemporânea brasileira.   “Nem todas as obras são inéditas, mas todas têm grande importância na produção individual de cada artista. As pinturas, esculturas e fotografias produzem cruzamentos poéticos entre elas mesmas e a arquitetura do prédio emblemático projetado por Christian de Portzamparc”, pontua José Bechara.   Jacaranda é uma plataforma crossmedia de divulgação da arte contemporânea brasileira. Desde 2014, o grupo vem realizando exposições e, em 2015, lançou a revista bilíngue com distribuição gratuita no circuito internacional de arte. No dia 18 de junho de 2016, inaugurou no bairro da Glória seu novo espaço com a exposição coletiva "Do clube para a praça", organizada pela crítica e curadora Luisa Duarte, com obras de 26 artistas.   “Jacaranda é uma idealização de artistas, produzida por artistas e que funda um lugar intelectual e físico que pretende servir a todos que contribuem para formar o que chamamos de mundo da arte”, explica José Bechara.                               [+] saiba mais Horta das Artes | Projeto de sensibilização socioambiental 14/09 a 28/02 Arte e Educação O projeto socioambiental Horta das Artes é uma proposta de construção coletiva de saberes e experiências em um ambiente dinâmico e socialmente diverso. Durante seis meses, trabalharemos juntos na ativação pedagógica de uma grande horta no jardim da Cidade das Artes. Trata-se de um programa de encontros semanais com abordagens criativas e didáticas, a partir de temáticas variadas. Ocupar a horta como um laboratório vivo significa vivenciar uma estação pedagógica interdisciplinar que deixará um belo legado para o bairro da Barra da Tijuca. Ou seja, vamos botar a mão na massa e semear bons frutos para o amanhã!   Será realizado um trabalho de nutrição do solo, recuperando suas condições férteis através do manejo ecológico e sustentável. A ideia é unir produtividade e biodiversidade em um sistema de plantio variado e integrado, aliando práticas de reflorestamento com produção de alimentos diversos. Ao trabalhar com a sucessão natural das espécies podemos experimentar diferentes consórcios de plantio, que vão desde o cultivo de temperos e legumes (de curto prazo) até espécies nativas das nossas florestas tropicais (de longo prazo).   O projeto é fruto da parceria entre a Fundação Cidade das Artes e o coletivo francês La SAUGE com o grupo HORTA NOSSA. Serão selecionados 30 (trinta) voluntários maiores de 13 anos, para juntos, construir e cuidar de uma horta urbana nos jardins da Cidade das Artes. Os interessados não precisam ter nenhuma relação com hortas ou projetos similares, o que vale é o desejo de aprender, trocar e multiplicar os conhecimentos adquiridos. Inclusive a ideia é justamente de formar um grupo bem heterogênio com jovens de todas as idades para compartilhar saberes.   A horta seria um suporte para introduzir aos voluntários diversas problemáticas ambientais concomitantes, tal como a questão alimentar, a ameaça à biodiversidade e a ocupação urbana. A equipe será formada por 2 (dois) monitores da La SAUGE e da HORTA NOSSA para acompanhar a cada seção o grupo de voluntários.   Serão 6 (seis) meses de concepção e acompanhamento com encontros acontecendo sempre às quartas-feiras, das 14h às 17h. Uma vez por mês o projeto receberá um especialista de uma área diferente para agregar conhecimento e informação.   Informações  - saladeleitura@cidadedasartes.org ou telefone 3325-0448   [+] saiba mais 1 Fome,de quê? Oficina - Educação Alimentar e Arte 01/10 Arte e Educação Fome,de quê? Oficina - Educação Alimentar e Arte   A oficina Fome, de quê?​ é um caminho de sensibilização para ampliar as reflexões sobre os alimentos que ingerimos, os produtos que utilizamos, trazendo consciência e buscando sustentabilidade para futuras transformações pessoais.   Uma atividade que trabalha as provocações dimensionais com a finalidade de promover as ações na realidade. O objetivo é melhorar a alimentação das crianças, reunindo ações de Arte e Expressão através das oficinas sobre os temas: o corpo, as  emoções, os sentimentos e as sensações.   A Oficina A oficina é composta  por três módulos:   O primeiro módulo ficará a cargo da nutricionista Cynthia Howlett. As crianças serão convidadas a construir a pirâmide alimentar, utilizando frutas, verduras, legumes, pães, doces... Neste primeiro módulo, a duração prevista é de  30 minutos.   O segundo módulo, também destinado às crianças, será conduzido pela artista educadora Bárbara de Crim V., e terá 60 minutos de duração. As crianças irão construir um objeto, individual e coletivamente, com alimentos coloridos ­- fubá, sal, coloral, açúcar, café, gelatina, achocolatado, farinha integral etc. O objeto construido será levado pela criança como lembrança do aprendizado.   O terceiro módulo destina-­se aos pais e responsáveis, e será desenvolvido enquanto as crianças estiverem ocupadas com o segundo módulo. O intuito é orientar os pais acerca da importância da diminuição de ingestão do açúcar e ensiná-­los a escolher de forma mais acertada entre os alimentos industrializados. Para isso, a nutricionista vai ensinar a ler os rótulos e a composição dos alimentos. O módulo terá, ainda, indicação de filmes e livros que abordam o assunto.   Informações   Capacidade: 40 pessoas por sessão Inscrições: saladeleitura@cidadedasartes.org ou 3325.0448 (terça a domingo - 10h às 18h). Classificação: crianças maiores de 6 anos acompanhadas pelos responsáveis [+] saiba mais Orquestra Sinfônica Brasileira | A Música Clássica no Cinema 01/10 Música OSB interpreta A Música Clássica no Cinema Programa mantém temática da Série Safira especial Música de cinema, mas com repertório alternativo devido à crise financeira da orquestra.   Sem receber salários e benefícios desde agosto, os músicos da OSB seguem firmes em suas atividades com mais um concerto na Cidade das Artes, sob a regência do maestro residente da OSB, Lee Mills, neste 1º de outubro, a partir das 21h, intitulado "A música clássica no Cinema". As obras escolhidas são do período Clássico e Romântico, e estiveram presentes em várias produções cinematográficas. Do Quarteto ‘Imperador’ de Haydn, utilizado na trilha de Casablanca, passando pelas sinfonias de Beethoven, em L.A. Story e Embalos de Sábado à Noite, ou mesmo de Schubert, com sua ‘Inacabada’, utilizada no filme Minority Report, muitos diretores souberam explorar em seus filmes obras emblemáticas do repertório camerístico e sinfônico.    A percepção de que muitas vezes você escuta música clássica e não sabia já foi explorada pela OSB em uma campanha publicitária da orquestra em 2013, produzida ao lado da Artplan, chamada “Clássicos por Trás dos Clássicos”, mostrando como a música orquestral está presente na vida das pessoas e elas nem imaginam. Tendo como pano de fundo produções cinematográficas famosas, a campanha para web ganhou até prêmio em Cannes, maior festival de publicidade do mundo. Desde então, em todas as temporadas, a OSB abre espaço para a clara relação entre o cinema e a música de concerto, aproximando o espaço da sala de espetáculo para novos públicos. De acordo com Pablo Castellar, diretor artístico da OSB, “este programa nos revela a magia da música no cinema. Diretores com grande habilidade incrementam a sua narrativa cinematográfica, se utilizando da expressividade de obras criadas muito antes da invenção dos irmãos Lumière. A música nos mostra aquilo que a imagem por si só não consegue mostrar. Ela nos traz emoção, nos leva a momentos no espaço e no tempo, nos conecta a personagens, a objetos e lugares, e nos envolvem na história contada”.   INGRESSOS Assinantes da Série Safira Especial - Música de Cinema ou aqueles que compraram ingressos avulsos para os concertos da Série no dia 01/10 (Herois e Super-Herois), têm os bilhetes válidos para o espetáculo que acontece neste sábado, com o repertório A Música Clássica no Cinema (01/10).   Quem optar pela devolução do dinheiro e fez a sua compra na bilheteria da Cidade das Artes ou pelo site da Ingresso Rápido, deve procurar estes locais para solicitar a respectiva devolução. No caso de Assinantes, a própria FOSB está fazendo o contato.   Os ingressos encontram-se esgotados e as vendas online estão encerradas. Em caso de desistência e devolução de ingressos daqueles que adquiriram anteriormente, existirá a possibilidade de venda na bilheteria da Cidade das Artes, no dia do espetáculo.   Durante essa semana, a Fundação OSB também realizará sorteio de alguns pares de ingressos para quem acompanha as atividades da orquestra pelo Facebook.   Sobre Lee Mills   Em 2016, Lee Mills assumiu o cargo de Maestro Residente da Orquestra Sinfônica Brasileira, depois de ter sido, por dois anos, Maestro Assistente da mesma. Em sua carreira, atuou como diretor musical da Orquestra Sinfônica da Universidade de Towson, em Maryland, por três anos. Vencedor da bolsa da Fundação Georg Solti nos EUA, formou-se em regência orquestral em 2011, tendo como tutores Marin Alsop e Gustav Meier. Foi o fundador da Orquestra de Câmara Divertimento em Walla Walla, Washington, e já esteve à frente das sinfônicas de Saint Louis, Baltimore e Bozeman, dos balés de Moscou e Montana, e de diversos outros grupos.   Sobre a Fundação OSB   Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações: foi a primeira orquestra brasileira a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia. Durante 76 anos de trajetória ininterrupta, a OSB revelou nomes como Nelson Freire, Arnaldo Cohen e Antônio Meneses, e teve à frente maestros e compositores brasileiros como Heitor Villa-Lobos, Eleazar de Carvalho, Claudio Santoro, Francisco Mignone e Camargo Guarnieri. Também faz parte de sua história a colaboração de alguns dos maiores artistas do cenário internacional, como Leonard Bernstein, Arthur Rubinstein, Mstislav Rostropovich, Igor Stravinsky, Claudio Arrau, Zubin Mehta, Lorin Maazel e Kurt Masur, dentre muitos outros. Sob a direção artística de Pablo Castellar e composta por mais de 90 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla, em sua programação regular de concertos, apresentações especiais e projetos educativos, um amplo universo musical - da produção barroca aos compositores contemporâneos. Para viabilizar suas atividades, a Fundação OSB conta com o incentivo da Prefeitura do Rio de Janeiro, do BNDES, da construtora Carvalho Hosken e de um conjunto de patrocinadores da iniciativa privada, através dos mecanismos federais de incentivo à cultura. Para saber mais sobre o processo de assinaturas acesse o site da OSB – www.osb.com.br.   CONCERTO  "A música clássica no Cinema". Sábado, 1º de outubro, às 21h, na Cidade das Artes Lee Mills, Maestro Residente da OSB   PROGRAMA   A MÚSICA CLÁSSICA NO CINEMA - CIDADE DAS ARTES Lee Mills, regência   JOSEPH HAYDN Quarteto de cordas em Dó maior nº 3, Op. 76 - “O Imperador” | II. Poco adagio, cantabile Aparece em filmes como: Casablanca e Os Doze Condenados   WOLFGANG AMADEUS MOZART Pequena Serenata Noturna em Sol maior, K.525 | II. Romanze Aparece em: X-Men2   As Bodas de Fígaro, K.492 | Abertura Aparece em: Noiva em Fuga   Concerto para Clarineta, K.622 | II.Adagio Aparece em filmes como: Gigolô Americano, A Força do Amor e Beleza Roubada   Sinfonia nº 25 em sol menor, K.183 | I. Allegro con brio Aparece em filmes como: Amadeus e Romeu + Julieta   LUDWIG VAN BEETHOVEN                                                                                          Sinfonia nº 5 em dó menor, Op. 67 | I. Allegro con brio Aparece em filmes como: Austin Powers, L.A. Story e Embalos de Sábado à Noite.   Sinfonia nº 7 em Lá maior, Op. 92 | II. Allegretto Aparece em filmes como: Minha Amada Imortal e Irreversível   GABRIEL FAURÉ                                                                                                       Pavane, Op. 50 Aparece em filmes como: O Heroico Covarde e Sr. Ninguém   FELIX MENDELSSOHN                                                                                                Sonho de uma noite de verão, Op.61 | IV. Marcha Nupcial Aparece em filmes como: Família Adams, Confissões de uma Mente Perigosa, The Rocky Horror Picture Show, entre outros.   EDWARD ELGAR                                                                                                       Variações Enigma, Op. 36 (Variações sobre um Tema Original) | IX. Nimrod Moderatto Aparece em filmes como: Crush e Elisabeth   FRANZ SCHUBERT                                                                                                    Sinfonia nº 8 em si menor, D.759 - "Inacabada" | I. Allegro moderato Aparece em: Minority Report [+] saiba mais Festival do Rio | Abertura 2016 06/10 Cinema Festival do Rio | Abertura    O público do Festival do Rio  terá um percurso bem diferente nesta edição de 2016. A mudança começa já na sessão de abertura,que pela primeira vez será realizada aqui na Cidades das Artes. A passagem da abertura para a Cidade das Artes, é a concretização de um namoro antigo entre o festival e esta gigantesca casa de cultura da Barra. Aqui,serão destinados ao público convidado 1.050 lugares, sendo que pela primeira vez uma parcela de ingressos serão vendidos - até o ano passado, as sessões de abertura eram restritas para convidados.    Informamos ao público da obrigatoriedade de uso do Traje Passeio Completo.   E o filme A CHEGADA (Arrival), do consagrado diretor Denis Villeneuve, abre esta 18ª edição do Festival do Rio aqui na Cidade das Artes. Recentemente nas listas dos melhores nos festivais de Toronto e Veneza, A CHEGADA terá distribuição da Sony Pictures no Brasil.   A CHEGADA (Arrival) Diretor Denis Villeneuve (Sicario: terra de ninguém, Os suspeitos) com Amy Adams, Jeremy Renner, Forest Whitaker Quando misteriosas naves espaciais aterrissam em todo o mundo, uma equipe de elite - liderada pela linguista Louise Banks - é reunida para investigar. Enquanto a humanidade hesita à beira de uma guerra mundial, Banks e sua equipe correm contra o tempo em busca de respostas - e para encontrá-las, ela terá de se arriscar pondo em perigo a própria vida e, muito possivelmente, a do resto da humanidade. Estados Unidos/ 2016. Exibido nos festivais de Veneza e Toronto 2016.       Sobre o Festival   O Festival do Rio foi criado em 1999 a partir da junção entre a Mostra Banco Nacional e o Rio Cine Festival, eventos que faziam parte do calendário cultural da cidade desde os anos 1980. De lá para cá, o Festival de firmou como um dos mais importantes do mundo e destino obrigatório para os principais destaques cinematográficos do ano. O evento é realizado pelo Cinema do Rio e pelo Cima - Centro de Cultura, Informação e Meio Ambiente, responsáveis pela produção do Festival, realização da Première Brasil e pelo RioMarket, maior mercado do audiovisual da América Latina. Alguns dos nomes mais importantes do cinema mundial já passaram pelo Festival apresentando seus filmes. Foram diretores como Roman Polanski, Costa-Gavras, Tom Tykwer, Dario Argento, Leos Carax, Im Sang-soo, João Pedro Rodrigues, Masahiro Kobayashi, Louis Malle, Carlos Saura, John Waters, Peter Greenaway, Stephen Frears, François Ozon, Todd Solondz e os irmãos Paolo e Vittorio Taviani; além de atores como Jeanne Moureau, Samuel L. Jackson, Marisa Paredes, Jeremy Irons, Forest Whitaker, Kylie Minogue, Willem Dafoe, Charlotte Rampling, Ricardo Darín, Danny Glover, Harvey Keitel, Helen Mirren, Isabelle Huppert e Jane Birkin, entre muitos outros. [+] saiba mais "A Mágica do Riso" | Mágico Patrick 08/10 Arte e Educação   "A Mágica do Riso" | Mágico Patrick Um espetáculo realizado com recursos teatrais e cômicos integrados à arte da ilusão, levando o público a uma viagem pelas diversas facetas da manipulação, mágicas cômicas,  clássicas e de efeito.        [+] saiba mais Dia das Crianças na Cidade das Artes 12/10 Arte e Educação A criança vê o mundo através dos brinquedos e brincadeiras. Através do brincar, a criança experimenta, organiza, regula,constrói normas para si e para o outro. Ela cria e recria a cada nova brincadeira, o mundo que a cerca.. O Dia das Crianças na Cidade das Artes será dedicado à arte do brincar,resgatando as brincadeiras tradicionais e reforçando a importância da interatividade dos pais neste universo, e para encerrar, vai rolar um super show!   Programação   Mundaréu de brincadeiras  com o Instituto Tear Para além do brincar o Instituto Tear comanda as mais diversas brincadeiras de rua de todos os tempos. Queimado, pega rabo, pique-cola americano, mãe-da-rua, elástico,  cabo-de-guerra, corda, amarelinha,  gato e rato, corre-cotia, passa anel, parlendas/travalínguas cantados e tantas outras deste universo brincante.   Oficinas de arte coordenadas por Hélio Rodrigues Coordenada por Hélio Rodrigues, uma equipe de arte-educadores promoverá  experiências artísticas muito prazerosas utilizando materiais como argila, linhas e tintas: Mão no gesso, argila livre, escultura com linhas e luzes, meu retrato é arte e monotipia   Música e movimento com Monique Desiderio Atividades musicais para crianças e seus acompanhantes com Monique Desiderio, especialista em Educação Musical. Cirandas, brincadeiras cantadas e rítimicas utilizando o corpo e a voz   Contação de histórias com Benita Pietro e José Mauro Brant Benita Prieto e José Mauro Brant narram aventuras, fábulas e contos incríveis para crianças de todas as idades!   Oficina de pipas com Max das Pipas O especialista Max Pipas te ensina a fazer a sua pipa e depois você pode experimentar o novo brinquedo nos Jardins da Cidade das Artes. Convide o vento para bailar!   Show de encerramento, às 18h,  com “Farra dos Brinquedos”  Super show de encerramento que é uma farra! No espetáculo que mistura música e números teatrais, o grupo retrata situações da infância de forma lúdica passeando pelo jazz, samba, choro e baião! Os músicos Daniela Spielmann (saxofones e flauta), Marcelo Caldi (voz e sanfona), Nando Duarte (violão de 7 cordas e baixo acústico), Carlos Cesar Motta (bateria), Bebel Nicioli (flauta e clarinete), Elisa Addor (voz) e Pedro Miranda (voz e percussão) cantam músicas autorais e envolvem as crianças através de suas histórias.   No Dia das Crianças na Cidade das Artes, o público poderá participar de atividades extras - barquinhos de papel,bolinha de sabão,bambolês e ainda a aprender a fazer mandalas de linha! E mais, curtir um espaço agradável de convivência com food trucks e comidinhas de criança!         [+] saiba mais Brasil de Tuhu | Educação Musical 15/10 Arte e Educação O Brasil de Tuhu e a Cidade das Artes prepararam uma programação especial e gratuita para encerrar a Semana das Crianças aqui na Cidade das Artes. Voltado para toda a família, o evento contará com o concerto de lançamento do CD Brasil de Tuhu - Volume 1, Brincadeiras Musicais com Bebel Nicioli, Brinquedos Temáticos, além da apresentação do novo jogo do aplicativo Tuhu Musical.    Programação gratuita   Concerto do Quarteto Radamés Gnattali e convidados Nicolas Krassik, Maria Teresa Madeira e Leandro Braga O Quarteto Radamés Gnatalli nasceu em 2006 com o encontro de quatro instrumentistas que, homenageando um dos maiores gênios da música brasileira, investiram na aproximação entre a produção de câmara latino-americana e o público contemporâneo. As músicas fazem parte do repertório dos Concertos Didáticos promovidos pelo Brasil de Tuhu em escolas do país.   Local Teatro de Câmara Horário: 16h  Duração Aproximadamente 60 minutos  Forma de acesso Distribuição de senhas 1h antes do concerto.      Brincadeiras Musicais Atividades recheadas de elementos cênicos, histórias e interações com instrumentos desenvolvidas por Bebel Nicioli (Brincadeiras Musicais e Farra dos Brinquedos) especialmente para crianças da primeira infância.   Local Sala de leitura  Horário 15h  Duração aproximadamente 30 minutos. Forma de acesso Inscrições saladeleitura@cidadedasartes.org ou 3325-0448     Brinquedos Temáticos  Ciação de brinquedos com a temática musical e baseados no Guia “Brincando de Música com Tuhu” para que o público possa se divertir de forma lúdica e educativa.    Local Esplanada (em frente ao Teatro de Câmara)   Horário 15h  Duração 120 minutos (ao longo de todo o evento)  Forma de acesso Livre      Experimentando o app Tuhu Musical Serão disponibilizados tablets para que o público possa jogar no aplicativo Tuhu Musical. Uma  equipe de monitores acompanhará  a ação.    Local Foyer do Teatro de Câmara  Horário 15h  Duração 120 minutos (ao longo de todo o evento)  Forma de acesso Livre      Navegando pelo site Brasil de Tuhu Serão disponibilizados totens com computadores e fones de ouvido para que o público possa navegar pelo site do Brasil de Tuhu e conhecer todos os conteúdos disponibilizados gratuitamente como a Revista, a Rádio e as Vídeoaulas. Será disponibilizada equipe de monitores para a ação.    Local Foyer do Teatro de Câmara  Horário 15h  Duração 120 minutos (ao longo de todo o evento)  Forma de acesso Livre   Sobre o Brasil de Tuhu   Impulsionado pela Lei Federal nº 11.769/2008, que inclui a música na grade curricular das escolas, o Brasil de Tuhu realiza desde 2009 diversas ações gratuitas voltadas para a ampliação da educação musical no Brasil – incluindo concertos em escolas públicas de todo o país, oficinas de musicalização e uma série de conteúdos digitais sobre música e educação, reunidos no site www.brasildetuhu.com.br. Com os concertos didáticos, o programa já percorreu mais de 140 escolas públicas de 36 municípios de 17 estados do país, levando a música para mais de 15 mil jovens.   A inspiração para as ações do programa surgiu a partir do “Guia Prático”, de Heitor Villa-Lobos. Trata-se de uma coletânea de cantigas de roda rearranjadas pelo maestro e compositor brasileiro nos anos 30, resultado de sua incursão pelo país em busca dos elementos formadores de nossa cultura. “Tuhu” era o apelido de infância do maestro, e por isso foi escolhido para compor o nome do projeto. O Brasil de Tuhu é uma realização da Baluarte Cultura, ao lado do Quarteto Radamés Gnattali, e conta com patrocínio da Wilson Sons via Lei Rouanet. [+] saiba mais 1 Caranguejo Overdrive 15/10 a 16/10 Teatro Caranguejo Overdrive    O protagonista é Cosme, ex-catador de caranguejos no mangue carioca da metade do século XIX. Convocado para integrar as forças brasileiras na Guerra do Paraguai, enlouquece no campo de batalha, volta ao Rio e encontra uma cidade em grande transformação.   A peça traz os traços de linguagem que caracterizam o trabalho muito original d’Aquela Cia - dispositivos hipertextuais, a relação com a cultura pop contemporânea.  “Caranguejo Overdrive” dialoga com o movimento manguebeat e a obra do Geógrafo Josué de Castro”, descreve o diretor Marco André Nunes. “Procuro criar um universo que soe familiar e que ao mesmo tempo traga algo de surpreendente, seduzindo o espectador para além do que está sendo informado ou compreendido, que lance dúvidas e o instigue a questionar o mundo em que vive”.   A peça  foi vencedora do Prêmio Shell  em três categorias (Direção, Texto, e Atriz) além de indicação para categoria Ator; no Prêmio Cesgranrio venceu em duas categorias (Direção e Texto), além das indicações para Espetáculo e Ator; foi vencendora do Prêmio APTR, nas categorias Autor, Direção e Atriz, tendo recibido também indicação para a categoria Melhor Ator e Melhor Espetáculo. Recebeu ainda cinco indicações para o Prêmio Questão de Crítica (Espetáculo, Direção, Texto, Atriz e Direção Musical), que ocorrerá no mês de Maio.    CARANGUEJO OVERDRIVE   Texto Pedro Kosovski  | Direção Marco André Nunes Com Carolina Virguez, Samuel Vieira, Eduardo Speroni, Fellipe Marques, Matheus Macena Músicos em cena Felipe Storino, Maurício Chiari  e Pedro Kosovski Direção Musical Felipe Storino | Iluminação: Renato Machado Instalação Cênica Marco André Nunes  Ideia Original Maurício Chiari Realização Aquela Cia.  Produção Núcleo Corpo Rastreado [+] saiba mais Video Games Live 22/10 Música O evento une Orquestra Sinfônica com a música de jogos digitais num show de celebração desta cultura, que hoje se espalha rapidamente por grupos de indivíduos de todas as idades. Capitaneado pelo mítico compositor de trilhas para jogos digitais Tommy Tallarico (Earthworm Jim, MDK, Metroid Prime 2 e mais de 200 jogos) completa 11 anos de Brasil, trazendo novos convidados e atrações especiais. Nesta edição VIDEO GAMES LIVE™ mais uma vez oferece trilhas de jogos novos e atende a pedidos do público  trazendo o compositor Barry Leitch como convidado especial. Oferece ainda uma peça exclusiva para o Brasil, homenageando o clássico Top Gear, além de um toque Brasileiro com a trilha do jogo Horizon Chase,também composto por Barry.   VIDEO GAMES LIVE™, A EMOÇÃO DA MÚSICA E DO MUNDO FANTÁSTICO DOS GAMES EM UM SÓ LUGAR Uma experiência completamente nova e original para famílias, fãs ou apenas curiosos do mundo dos games. Um evento com o conceito de imersão, que reúne o mundo da música dos games mais populares com a presença ao vivo de Orquestra Sinfônica, percussionistas eletrônicos, coro, solistas, vídeos e arranjos musicais exclusivos, iluminação sincronizada, ação ao vivo e momentos reais de interação, fantasia e entretenimento explosivo. Este é o Video Games Live™, VGL, que chega à sua décima primeira edição trazendo conteúdo exclusivo para o Brasil.  “Queremos provar que música dos games não é só blip blop, em referência aos sons de aparelhos mais antigos, e sim a ópera do século XXI”, explica Tommy Tallarico, compositor veterano da indústria mundial dos videogames e responsável pela série de concertos. O intuito é encorajar e apoiar a cultura e a arte dos jogos eletrônicos, apresentando músicas de mais de 50 títulos. Cada segmento é apresentado com imagens e vídeos projetados, iluminação sincronizada e momentos interativos entre os personagens dos games e o público, mais do que um show de música, a Video Games Live é uma celebração da cultura dos videogames. A experiência, que agrada a toda família, mesmo os que não são familiarizados ao mundo dos games, começa logo na entrada da sala de concertos, com competições musicais e outros games interativos, e segue também após o espetáculo, quando todo o público tem a oportunidade de confraternizar com os compositores das trilhas dos games. O evento conta sempre com participações especiais. Nesta edição estarão presentes Barry Leitch (compositor da trilha do Top Gear), Russell Brower (Diretor de áudio da Blizzard), Laura Intravia e a Orquestra Sinfônica especial para o show. Para mais informações, basta visitar: http://www.videogameslive.com.br. Tommy Tallarico (www.tallarico.com): É um dos maiores compositores de game music do mundo (compôs trilhas para 275 games, como Tony Hawk Pro Skater, Spider Man, Earthworm Jim, Unreal, Mortal Kombat, e Time Crisis) e está no Guiness Book of World Records – Gamer´s Edition. Tommy também é o fundador e presidente da Game Audio Network Guild – G.A.N.G (www.audiogang.org), organização sem fins lucrativos, que tem o objetivo de promover a excelência nas trilhas dos jogos eletrônicos, e palestrante no TED, onde fala sobre a cultura dos videogames. http://www.tallarico.com/index.php?s=biography http://videogameslive.com/gallery/v/Team/ http://videogameslive.com/gallery/v/flyers/ Barry Leitch Compositor Escocês responsável por grandes clássicos dos games nos anos 80 como Top Gear, Lotus Challenge e San Francisco Rush, e que ressurgiu no mercado de trilhas para games com o sucesso Horizon Chase, em 2015. Russell Brower O maestro da Video Games Live já atuou na Disney como compositor e diretor de áudio, e hoje ocupa o mesmo cargo na Blizzard, tendo composto temas para diversos jogos da empresa como World of Warcraft e Starcraft, além de ser o comandante do time de áudio da empresa. Laura Intravia Também conhecida como Flute Link, Laura é uma talentosa compositora, multi- instrumentista e cantora lírica. Trabalhou em álbuns de sucesso como o de arranjos de piano para a trilha da franquia Zelda. Orquestra Sinfônica Villa-Lobos. Comandada pelo maestro Adriano Machado, é conhecida por seu repertório variado, que vai do popular ao erudito, sem perder a excelência na qualidade de suas execuções. Mescla grandes obras do repertório internacional com obras dos mestres compositores da música popular, trazendo sempre o melhor da música instrumental sinfônica. [+] saiba mais 1 Amália Rodrigues: Saudades do Brasil 04/11 a 30/11 Artes Visuais A exposição "Amália: Saudades do Brasil" propõe apresentar a relação da fadista portuguesa com o País.   Amália Rodrigues (1920-1999) deslocou-se várias vezes ao Brasil, onde gravou discos pela primeira vez, e onde criou, entre outros, o Fado Xuxu e Ai Mouraria, ambos de Amadeu do Vale e Frederico Valério.   No início da década de 1950, a fadista gravou um conjunto de temas de autores brasileiros como A coroa do rei, Saudades de Itapuã, Falsa baiana eNega maluca. O título da exposição remete para uma composição de Vinicius de Moraes, Saudades do Brasil em Portugal, composta para a voz de Amália, e que a gravou em dezembro de 1969, quando o criador brasileiro visitou a fadista na sua casa em Lisboa, e ali realizou uma tertúlia, em que entre outros, participaram Natália Correia, David Mourão-Ferreira e José Carlos Ary dos Santos.   Amália Rodrigues, com o compositor luso-francês Alain Oulman, gravou Naufrágio, da brasileira Cecília Meirelles. Do Brasil foi buscar um outro título, "Formiga Bossa-Nova", do português Alexandre O'Neil que Oulman também musicou.   A fadista atuou regularmente no Brasil, e um dos seus discos gravados ao vivo foi no Canecão, no Rio de Janeiro. Este ano celebram-se os 40 anos do álbum Amália no Canecão.   A exposição aborda a relação de Amália Rodrigues com o Brasil, a importância deste país na construção da sua presença no mundo e a influência que a artista teve e continua a ter nas novas gerações de criadores, não só na área da música como também nas artes visuais".   A mostra inclui cartazes, o da estreia de Amália no Cassino de Copacabana, em 1944, as partituras de Ai Mouraria, e ainda "inúmeros registos inéditos de som e imagem, bem como obras dos artistas contemporâneos Vik Muniz e Francesco Vezzolli inspiradas na diva do fado".   No âmbito da exposição e numa parceria entre as editoras Valentim de Carvalho e Biscoito Fino, iniciar-se-á a edição da discografia de Amália Rodrigues no Brasil. O projeto artístico Amália: Saudades do Brasil surge "num contexto de grande paixão pela cultura portuguesa e pelo fado", e tem a curadoria de Frederico Santiago, Luís Neves e Sara Cavaco, sendo organizada pela Creative Industries Programmes em coprodução com os museus do Fado e Nacional da Dança e do Teatro, em Lisboa.   "A ligação de Amália Rodrigues ao Brasil é quase inesgotável", afirma a organização que refere - "foi num avião a caminho do Rio de Janeiro, em 1944, que Amália leu os primeiros versos eruditos que viria a cantar, 'As penas', do poeta oitocentista Fernando Caldeira". Foi também no Brasil que gravou o seu primeiro poema, Corria atrás das cantigas, no Fado Mouraria.   "A mostra descreve a trajetória da cantora desde a sua chegada ao Brasil em 1944, para a sua primeira digressão internacional, até aos seus últimos recitais nos anos 1990, passando pelos primeiros discos de sempre, em 1945, pelo filme Vendaval maravilhoso (1949), de Leitão de Barros, sobre o poeta brasileiro Castro Alves, pelas suas inúmeras atuações nas rádios e televisões brasileiras - material muito extenso que nunca foi alvo de investigação -, ou até pela participação numa telenovela da TV Record em 1971, 'Os deuses estão mortos'".   Em breve divulgaremos a data. [+] saiba mais 1 Dimitri Vassilakis - Tributo a Pierre Boulez 05/11 Música Dimitri Vassilakis, piano No Dia Nacional da Cultura, um tributo a Pierre Boulez   Programa   - Arnold Schoenberg - 3 peças para piano op. 11 ( 14’ ) - Pierre Boulez -  12 Notations ( 10’ )                                 Primeira Sonata ( 9’ )      ( Intervalo )    - Claude Debussy : 3 Estudos :     ' pour les arpèges composés '       ' pour les agréments '      ' pour les sonorités opposées ' ( 14’ )   - Pierre Boulez : Terceira Sonata ( 17’ )                               Incises ( 11’ )   Dimitri Vassilakis nasceu em Atenas em 1967, onde começou seus estudos de música. Formou-se no Conservatório Nacional Superior de Música, de Paris, tendo alcançado a nota máxima ‘com louvor’, por unanimidade do júri, em piano, música de câmara e acompanhamento. No Conservatório foi aluno de Gérard Frémy, Monique Deschaussées e György Sebök, dentre outros.   Ele é solista do prestigiado Ensemble Intercontemporain, desde 1992, tendo trabalhado diretamente com Pierre Boulez, de quem fez a première mundial de ‘Incises’, constante da coletânea - Deutsche Grammophon -, com o registro das obras completas do compositor.   Seu repertório se estende de J.S.Bach - com inúmeros registros fonográficos das ‘Variações Goldberg’ e do ‘Cravo Bem Temperado’ - à música de vanguarda, incluindo a obra completa para piano de Pierre Boulez e Iannis Xenakis.   Pierre Boulez maestro e compositor francês, uma das mais proeminentes personalidades da música experimental na segunda metade do século XX, faleceu aos 90 anos, em janeiro de 2016.   Nascido na cidadezinha de Montbrison, nas cercanias de Lyon, em 1925, Boulez estudou matemática e, a seguir, transferiu-se para o Conservatório de Paris, onde foi um dos mais introspectivos e brilhantes estudantes.   No pós-guerra, ele integrou um grupo de compositores reunidos em torno do também francês Olivier Messiaen (1908-1992), que procurava superar o impasse que havia chegado a música de vanguarda da Escola de Viena.   Entre as mais conhecidas composições de Boulez estão “Le Marteau sans Maître”, de 1954, e “Pli Selon Pli”, de 1957.   Ele também passou a se dedicar à regência, impondo-se com um estilo que deixava transparecer, mesmo em repertórios românticos (Brahms ou Berlioz) ou do século XX (sobretudo Stravinsky e Bartok), uma visão extremamente racional sobre a organização dos sons.   Boulez foi a antítese dos maestros excessivamente adocicados, que procuraram obter reações emocionais da plateia.   A leitura de Boulez foi revolucionária na medida em que os motivos temáticos com que Richard Wagner construía suas óperas - nele, não havia mais separação em árias, duetos, trechos fundamentalmente orquestrais - eram vistos como sinalizações para que se aumentasse ou se diminuísse a velocidade com que a música se desenvolvia em cena.   [+] saiba mais Encontro de Corais | Maestro Luiz Lima 15/11 Música   Apresentação dos Corais   Coral Zacarias Coral Mater Nostra Coral Júlio Chevalier Coral Nossa Senhora de Loreto Coral Ramatis Grupo Vocal Clave de Sol Coral Encanta Rio 2 Coral Clube de Regatas do Flamengo Coral Câmara Comunitária da Barra da Tijuca Coral Madrigalfa   Maestro Luiz Lima 25 anos de carreira, arranjador, pianista e cantor lírico, atualmente regente do coral do Clube de Regatas do Flamengo, Câmara Comunitária da Barra, Ramatis e outros. Já tendo se apresentado no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Cidade das Artes, Sala Cecília Meireles, USA (Disney), Argentina, Manaus, BH, SP e outros. Este ano recebeu a moção da câmara dos vereadores do Rio de Janeiro por serviços prestados à comunidade da Barra com formação dos corais Encanta Rio2, Madrigal, do Alfabarra e Câmara Comunitária da Barra.   Programa   1º Ato   Começa o evento com os cinco corais cantando Salmo 23 e Ave Maria de Somma. Coral Zacarias canta Minha Jangada e Azul da cor do mar. Coral Zacarias e Coral Mater Nostra  Eu sei que vou te amar. Mater Nostra canta Yolanda, Magnificat e Oh Holly Night. Júlio Chevalier canta Eu canto porque e Tocando em frente, chama Ramatis para cantarem juntos Espanhola Júlio Chevalier e Ramatis cantam  juntos Espanhola N.Sra. de Loreto canta Vá Pensiero, Viola Enluarada N.Sra. de Loreto  e Ramatis cantam  Born Free e Aleluia de Haendel  Ramatis canta Amavolovolo e Eu só quero um xodó.   2º Ato   Os Corais Ramatis, Clave de Sol, Encanta Rio 2 e Flamengo cantam juntos Hallellujah Gospel. Clave de Sol canta Aleluia de Cohen e Samba da minha terra  Clave de Sol e Coral Encanta Rio 2  cantam juntos  Carta ao Tom. Encanta Rio 2 canta Cálice e Canção da América  Encanta Rio 2 e Coral do Clube de Regatas do Flamengo cantam Aquarela do Brasil Coral do Clube de Regatas do Flamengo canta Canto de Ossanha, Arrastão Coral da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca e Madrigalfa  cantam Ainda bem. Coral da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca canta Panis Circenses, O Fortuna Coral da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca e Clave de Sol cantam  Ave Maria de Caccini Coral Madrigalfa canta Mais que nada, Close to you Clave de Sol e Clube de Regatas do Flamengo cantam  Yesterday Encanta Rio 2 e Câmara Comunitária da Barra da Tijuca cantam Whisky a Go Go        [+] saiba mais Rio Web Fest | Festival de Web Séries 01/12 a 04/12 Outros Rio WebFest 2016 É a segunda edição do primeiro festival internacional da categoria no Brasil e a maior celebração internacional da web no país. Rio Web Fest é uma mostra competitiva que possibilita o encontro entre criadores de web séries de todo o mundo. Serão quatro dias de programação que culmina na cerimônia de premiação com a coroação das melhores produções do ano. O evento será realizado em vários espaços da Cidade das Artes. Além da exibição das webséries da mostra competitiva, o festival traz: palestras de criadores, workshops “Como fazer uma web série”, festas de networking, rodada de negócios, exposição “Panorama Web Fest”, palestras com diretores e distribuidores da TV e da web, masterclasses com convidados internacionais e a caminhada pelo tapete vermelho até a cerimônia de premiação. Inscrições até 30/09 e mais informações - www.riowebfest.net   SOBRE O Rio WebFest teve sua edição inaugural realizada de 6 a 8 de novembro de 2015, na Ação da Cidadania e Casa Porto, centros culturais localizados na Zona Portuária do Rio de Janeiro. Dos mais de 200 trabalhos inscritos, 65 séries nacionais e 120 internacionais concorreram a mais de 30 prêmios.       [+] saiba mais 1 Camerata de Violões 10/12 Música Camerata de Violões   “Suítes do Brasil” Álbum independente comemora os 20 anos do octeto de cordas   O violão, instrumento que circula em variados estilos musicais, aproximando gerações, recebe tratamento especial no terceiro álbum da Camerata de Violões, “Suítes do Brasil” (independente), nos convidando a fazer uma homenagem à música brasileira através de ritmos que foram criados no Brasil e que caracterizam a música de seu povo. O disco celebra os 20 anos da Camerata que interpreta no concerto o repertório do cd.   A partir das diversas possibilidades do violão, a Camerata revisita cinco compositores. São eles: Nicanor Teixeira (baiano, 1928), um dos nossos grandes mestres; Garoto (paulista, 1915-1955), gênio das cordas brasileiras; Rogério Borda (carioca, 1964), integrante da Camerata reconhecido pela sua ampla experiência em compor para grupos de cordas dedilhadas; Ernesto Nazareth (carioca, 1863-1934), pianista cuja obra é considerada como síntese da música brasileira urbana desde princípios do século XX; e Gaetano Galifi (italiano, 1949), radicado no Rio de Janeiro desde os 20 anos e ex-integrante da Camerata, este dedicado violonista apresenta em suas composições, novos recursos expressivos para o instrumento. A sonoridade de “Suítes do Brasil” chama atenção para os diferentes timbres do instrumento. Além das melodias e acompanhamentos, existem as polifonias entre as vozes e sua relação com elementos percussivos, que fazem pulsar o corpo em sintonia com cada música. O título se explica pelo repertório formado por suítes originais (ou obras ordenadas desta maneira).   Formada por Adriano Furtado, Artur Gouvêa, Eduardo Gatto, Elodie Bouny, Fábio Nin, Luciano Camara, Valmyr de Oliveira e Rogério Borda, a Camerata de Violões registra neste disco, com elegância e de maneira sutil, a riqueza sonora do Brasil, reunindo alguns dos nossos mais importantes gêneros musicais.     CAMERATA DE VIOLÕES O octeto de violões nasceu em 1996, numa reunião de professores do Conservatório Brasileiro de Música e ganhou espaço no cenário musical com vibrantes interpretações de um repertório brasileiro de altíssima qualidade. O primeiro CD, “Camerata de Violões do Conservatório Brasileiro de Música”, lançado em 2001, recebeu referências elogiosas da crítica especializada nacional e internacional. A revista inglesa Classical Guitar, por exemplo, referiu-se ao conjunto como “uma orquestra de violões que produz um som deslumbrante”. Com apresentações em diversos estados brasileiros, a Camerata de Violões vêm conquistando a admiração do público e de grandes músicos como Hermeto Pascoal, que já dedicou uma composição inédita ao grupo. O segundo disco, “Camerata de Violões”, foi indicado ao GRAMMY 2009 na categoria Melhor Álbum Instrumental.   Crédito: Mônica Ramalho [+] saiba mais